Promessas do tênis para ficar de olho em 2019

Como em todo e qualquer esporte, existe um processo natural de renovação no tênis. Jogadores como Tomas Berdych, Jo-Wilfried Tsonga e Richard Gasquet, por exemplo, já não conseguem tanto destaque no circuito — seja por motivo de lesão, motivação ou questão técnica.

Para se ter uma ideia, 17 tenistas do grupo dos 100 melhores do mundo da ATP têm 22 anos ou menos. Alguns jogadores, como Alexander Zverev, Stefanos Tsitsipas, Denis Shapovalov e Alex de Minaur, apesar de muito jovens, são conhecidos por boa parte do público e já passaram do status de promessa.

Este artigo tem como objetivo discutir sobre jovens tenistas que não tiveram muito destaque em torneios de elevado porte, mas que mostraram grande potencial em 2018 e prometem ter maior destaque na próxima temporada.

Alexei Popyrin

Nascido em Sydney, na Austrália, Alexei Popyrin passou alguns anos nos Emirados Árabes Unidos e se profissionalizou em 2017. Atual número 149 do mundo e com apenas 19 anos, o australiano tem pouca experiência no circuito profissional, mas já demonstra ótimo potencial e não irá demorar muito tempo para ele entrar no grupo dos 100 melhores do mundo.

Com um estilo de jogo mais reto e agressivo, Popyrin foi de campeão de juniores de Roland Garros em 2017. Em 2018, ele conquistou seu primeiro título de Challenger, no Challenger de Jinan, na China.

Ugo Humbert

O francês Ugo Humbert começou a temporada na 378ª posição no ranking da ATP e terminou o ano na 84ª colocação — um salto de 294 posições. Em 2018, a jovem promessa de 20 anos foi campeão de três torneios no nível Challenger e venceu 69 partidas.

Canhoto, Humbert gosta de atuar em quadras rápidas, mostra boa capacidade de definição e saca bem. Aliás, um dos pontos que ele precisa evoluir no seu jogo é ser menos ansioso e ter um pouco mais de paciência em determinados pontos. Vale a pena ficar de olho nele em 2019.

Hubert Hurkacz

Hubert Hurkacz tem 21 anos, começou o ano de 2018 no 238º lugar no ranking da ATP e acabou a temporada na 87ª posição. Apesar de não ser muito ágil, o polonês consegue se virar bem no fundo de quadra. Além disso, ele serve com propriedade e seu estilo de jogo é mais agressivo do que paciente.

Nesta temporada, ele venceu dois eventos Challenger — um no saibro e outro no sintético indoor. Também vale ressaltar que ele disputou o Next Gen ATP Finals.

Uma das maiores mudanças do polonês para 2018 foi a parte mental. “Meu treinador (Pawel Stadniczenko) me ajudou muito e sou muito grato a ele. Ele especialmente me ajudou mentalmente, para permanecer positivo. Essa foi a maior mudança. Para ser mais sólido durante as partidas e não ter tantos altos e baixos. Estou competindo em um nível mais alto e agora sou capaz de vencer contra adversários melhores”, disse Hurkacz em entrevista para o site da ATP.

Jurij Rodionov

Boa promessa do tênis austríaco, Jurij Rodionov tem 19 anos e é o atual 235 do mundo, mas é importante destacar que ele começou o ano fora do top 500. Como boa parte dos tenistas austríacos, ele tem melhor desempenho no saibro. Em junho de 2018, ele venceu o Challenger de Almaty — o primeiro na sua curta carreira.

Rodionov é talentoso, mas precisa aprender a se controlar melhor emocionalmente. “Eu posso ser muito emotivo, mas sempre de um jeito bom, para me esforçar. Talvez eu vou filmar de vez em quando, mas eu tenho apenas 19 anos e talvez eu tenha que aprender isso. No entanto, eu não me vejo como um cara de temperamento explosivo”, contou ele ao portal Tennis Net.

O austríaco também necessita melhorar sua movimentação de pernas e evoluir seu backhand para entrar no grupo dos 100 melhores do mundo, mas é fato que ele é um jogador para ficarmos atentos em 2019.

Jaume Munar

Muitos apostadores já conhecem o espanhol Jaume Munar, porém é necessário destacar ele como uma das principais promessas do tênis europeu. O espanhol tem 21 anos e é especialista no saibro.

Um dos mentores de Munar é Rafael Nadal. “Ele está sempre está me ajudando. Rafa é maiorquino como eu e é um amigo e pede sempre que eu dê a melhor versão de mim. Me diz sempre que o mais importante é dar tudo, trabalhar e lutar para estar presente nos grandes palcos. Receber este incentivo de um dos melhores de sempre é especial”, disse Munar para o site Bola Amarela, que atualmente ocupa a 81ª posição no ranking da ATP.

Como no primeiro semestre acontecem muitos torneios na terra batida, valerá a pena confiar nele em algumas oportunidades contra tenistas favoritos — talento ele já demonstrou que tem. Em 2018, o maiorquino venceu dois torneios Challenger na terra batida e foi semifinalista do Next Gen ATP Finals.

Félix Auger-Aliassime

Canadense de apenas de 18 anos, Félix Auger-Aliassime é o atual número 109 do mundo e é apontado por muitos como uma futura estrela do tênis mundial. Em novembro, o adolescente Challenger de Tashkent e se tornou o terceiro jogador da história com 18 anos ou menos a vencer mais eventos Challenger. Veja a tabela abaixo.

Como principais características, Aliassime tem bom poder de definição com o forehand, possui bom trabalho de pés, apresenta boa técnica e consegue ir bem no saibro e no piso duro. Caso não tenha nenhum problema físico mais sério em 2019, é muito provável que ele consiga entrar no top 100 da ATP na próxima temporada.

Outros tenistas que valem a menção

Além dos tenistas que foram citados anteriormente, jovens jogadores como Corentin Moutet, Michael Mmoh, Miomir Kecmanovic, Lloyd Harris, Pedro Martinez Portero, Rudolf Molleker e Nicola Kuhn também deverão crescer de produção na próxima temporada.

Registre-se na 1xbet e ganhe R$ 500:

Comentários estão fechados.