Conclusões sobre primeira parte da temporada da NBA

A maioria das equipes da NBA já completaram mais do que 30 jogos nesta temporada regular e isso marca quase 50% dos jogos completos em 2018/19. Para o apostador, é época de reflexão e de identificar erros e acertos até o momento.

Não confiar demais em favoritos

Essa é uma regra geral que existe no basquete disputado em alto nível e que na NBA está ainda mais relevante nesta temporada. Ontem (18), por exemplo, o Indiana Pacers perdeu em casa diante do Cleveland Cavaliers. A odd para a equipe de Indiana estava apenas em 1,11 e provavelmente essa derrota jogou muita gente do cavalo em apostas múltiplas.

Confiar em equipes abaixo de 1,20 de odd é algo que eu raramente faço nas apostas (só em casos muito extremos) e nesta temporada isso está ainda mais alarmante.

Portanto, na hora de ver uma odd extremamente baixa, pense duas vezes e pense se isso realmente vale a pena a longo prazo. Pode funcionar uma ou duas vezes, mas uma hora um Indiana da vida vai perder contra o Cleveland.

Fator casa ainda mais relevante

Ainda neste mês, fiz um artigo sobre o fator casa estar mais relevante nesta temporada — recomendo muito a leitura. Algumas semanas depois, tal afirmação segue como um fato em 2018/19.

Em jogos entre equipes equilibradas, na maioria das vezes o fator casa tem sido o algo extra para a vitória. Ontem (18) tem um exemplo claro disso, pois o Brooklyn Nets recebeu o Los Angeles Lakers e conquistou a vitória — os dois times estavam em descanso normal.

Explorar mercados alternativos

Em uma semana de entradas no Grupo de Picks do Quero Apostar, consegui acumular +8,60 unidades no mercado de ressaltos (o mesmo que rebotes) na NBA. Eventualmente postarei algumas entradas gratuitas no site, mas todas as minhas seleções estão no Grupo.

O mercado de rebotes é excelente para encontrar valor e o sucesso nessa área mostra que identificar e explorar mercados alternativos é uma excelente em tempos tão instáveis assim.

As linhas pré-lives de moneyline e handicap estão cada vez mais precisas e o apostador precisa encontrar alternativas para se sobressair diante da casa.

Além dos rebotes, outros mercados como bolas de três pontos, performance, assistência, etc, podem ser lucrativos a longo prazo.

É preciso identificar entradas de valor na live

Como dito anteriormente, está cada vez mais complicado identificar valores pré-live. Dessa maneira, as entradas ao vivo ainda apresentam algumas oportunidades muito interessantes. O mais correto a fazer é identificar alguma odd não muito boa e esperar com que ela atinja um bom valor no ao vivo.

Por exemplo, supondo que esteja 1,30 pro Houston ganhar em casa do Orlando Magic. No entanto, como é uma odd muito pequena, não vale a pena investir nessa aposta como simples. Dessa maneira, sabendo que as chances de Houston são ótimas, a estratégia de qualidade seria esperar essa odd bater pelo menos 1,70 para entrada na live.

Uma coisa importante, no caso, é lembrar que nem todos os jogos são passíveis de entradas live. Ou seja, é necessário assistir o jogo, acompanhar de perto e realmente ponderar se vale ou não a entrada na equipe favorita com boas odds.

Reconhecer que a liga está mais equilibrada em relação a outros anos

Por incrível que pareça, casos como o do Indiana Pacers de ontem (super favorito) perder contra um underdog extremo não estão categorizados como “raridade” em 2018/19. Vira e mexe essas zebras estão acontecendo e muito disso passa pelo fato de que a liga está extremamente equilibrada.

O Golden State Warriors não está atropelando os adversários, o Denver Nuggets é o líder da conferência oeste e por aí vai. Portanto, reconhecer que a liga está passível a zebras é um passo importante para evitar erros (como confiar demais em “super favoritos”) e assim manter a sua taxa de acerto maior.

Além disso, com mais de 30% da temporada já passada, a diferença entre o líder do oeste (Nuggets) com o 14º da conferência (Utah Jazz) é de apenas 7,5 jogos. Essa diferença mínima é uma das menores da história recente da NBA, o que prova mais uma vez tamanho equilíbrio da temporada.