Como lucrei 93 unidades na Minor League

O universo do beisebol norte-americano é curioso e desafiador ao mesmo tempo. Cada equipe da MLB (liga mais forte) conta com 25 jogadores no time principal, enquanto suas categorias de base — divididas em ligas inferiores alcunhadas de “Minor League” — compõem aproximadamente 125 outros atletas que atuam nessas ligas de desenvolvimento.

Cada franquia (New York Yankees, por exemplo) tem aproximadamente seis times de ligas menores que são divididos em níveis diferentes. A Rookie Level é a mais fraca e composta por adolescentes entre 17 a 19 anos, enquanto a Minor League mais forte, a Triple-A (AAA), é recheada de promessas de alto quilate do beisebol e veteranos ex-MLB que buscam um lugar no beisebol mais forte do mundo.

Sorte minha que sempre tive um conhecimento aprofundado das promessas do beisebol. Há anos realizo um trabalho bem extenso no Casa do Beisebol (antes Spinball Net) sobre os principais jovens destaques que prometem à MLB. Em fevereiro deste ano, por exemplo, junto com meu redator Vinícius Perestrelo fiz um estudo aprofundado dos 102 melhores prospectos da MLB.

Pois bem, em abril pensei que todo esse conhecimento das categorias de base e dos jovens prospectos do melhor beisebol do mundo poderia servir de ótimo retorno nas apostas esportivas.

Quase cinco meses após a minha decisão de aproveitar o meu conhecimento na Minor League e enviar as bets no serviço do Grupo de Picks, o resultado não poderia ter sido mais satisfatório: 93 unidades de lucro e um crescimento de banca que beirou os 50%.

Como consegui fazer isso em menos de uma temporada inteira? É o que você, apostador, verá neste artigo.

Odds de valor

Talvez essa seja a principal virtude da Minor League. Por ser um mercado de baixa liquidez, as casas de aposta não dão tanta atenção para o que acontece na liga inferior na qual apostamos (Triple-A, abreviada como “AAA”).

Portanto, raramente o time da casa é o underdog e, por se tratar do fato de que no beisebol o mandante não faz tanta diferença, é possível identificar excelentes odds para as equipes visitantes.

Só nesta temporada, por exemplo, cravei várias bets com odds acima de 3,00 no Grupo de Picks e com três unidades cada.

Avaliar as odds de valor, apostar no alto retorno e confiar nas minhas análises certamente foram pontos que me fizeram evoluir bastante como apostador.

O favorito geralmente não é “O Favorito”

Tenho muita convicção que os bookmakers avaliam coisas quase inúteis no beisebol fase recente dos últimos cinco jogos e confronto recente entre as duas equipes em questão para determinar as odds para o jogo.

Por esses e vários outros motivos que me dei muito bem na Minor League em 2018 quando o assunto foi o mercado de moneyline.

Análise dos mercados enviados na Minor League no Grupo de Picks (temporada 2018)

Sempre desconfiei das odds de vencedor entre 1,50 a 1,70. “Será que esse time vale só isso”? Portanto, explorar o mercado de underdog é extremamente rentável em uma liga em que geralmente as odds são parelhas, mas que pode haver alguns casos de odds como 1,50 para um lado.

São nesses jogos em que há muita discrepância nas odds que o apostador pode conseguir um grande retorno e forrar muito em apenas um dia. Fiz isso durante toda temporada.

Muita informação

Assim como o Danilo Martins consegue fazer brilhantemente nas divisões inferiores do futebol brasileiro, para saber tirar o máximo das apostas da Minor League o ideal é ter em mãos muitas informações valiosas sobre as equipes.

Coisas como estado físico do arremessador, mudanças recentes no elenco (na Triple-A isso é extremamente comum) e outros detalhes periféricos são muito importantes para você ter uma vantagem que talvez as casas não tenham.

Sabendo a hora de “foldar”

No poker, uma ação extremamente importante é saber a hora de passar a sua vez e não tomar nenhuma ação, que é chamada de “fold”. Como o brasileiro brilhantemente aportuguesa os termos, passar a vez é conhecido como “foldar”.

Na Minor League, foldar é muito importante para você não cair na armadilha de precisar apostar todos os dias. A temporada do beisebol é como um mercado de ações: ela é feita para os impacientes darem dinheiro aos pacientes. Ou seja, você precisa esperar a sua chance, avaliá-la como um bom caçador na floresta e dar o tiro certo na hora exata.

Isso significa que há dias em que o melhor a fazer é simplesmente não apostar. Seja por conta do card ruim com poucos jogos de odds boas ou pelo fato de você estar cansado e sem “saco” para analisar — ter esse autoconhecimento é fundamental nessa liga.

No meu método de análise, tendo a ser extremamente meticuloso, ou seja, avalio os maiores e menores detalhes possíveis para chegar a uma conclusão. É como se eu montasse um puzzle a cada bet, apenas para determinar se ela é passível de entrada ou não.

Portanto, como não há “fórmulas” matemáticas e nada do tipo, eu preciso estar com o psicológico em dia e deveras descansado para nenhum fator externo não atrapalhar nas minhas análises. Por tais motivos que eu sempre foldo no domingo, numa ação de recarregar as baterias e descansar para a nova semana que se aproxima.

Em linhas gerais, ter o timing na Minor League é fundamental em todos os sentidos. E como conseguir tudo isso? Bom, organização e conhecimento da liga são dois pontos fundamentais para você não extrapolar suas bets e só fazê-las quando estiver convicto da ação.

Ride the wave

Os americanos adoram essa expressão. “Ride the wave”, em bom português, significa “surfar a onda”. Ou seja, se a fase está boa, continue nela; se ela estiver ruim, pule fora.

A Minor League, assim como qualquer outra grande liga norte-americana, é composta por fases. O início da temporada geralmente é muito sólido e estável, com poucas mudanças e os elencos firmes.

Junho foi meu melhor mês na Minor em 2018 (CLIQUE PARA EXPANDIR)

Já no fim da temporada, geralmente nos últimos dois meses, a liga se torna um pouco imprevisível e cheia de “pegadinhas” para o apostador. E por que isso? Muito vai de encontro as muitas mudanças nos elencos, visto que as equipes da MLB buscam na Triple-A jogadores como substitutos imediatos caso haja alguma lesão ou suspensão — contusões são bem frequentes na MLB a partir de agosto.

Portanto, é essencial identificar as fases boas e ruins da Minor League ou de qualquer outra liga norte-americana. Em agosto, por exemplo, resolvi encerrar minhas atividades com pouco mais de uma semana para o término da temporada regular. Motivo? A Triple-A estava se tornando um mar de imprevisibilidade com as muitas trocas no elenco e a expansão de 25 para 40 jogadores na MLB se aproximando — algo que aconteceu todos os anos a partir do dia 1 de setembro.

Melhor casa para a Minor League

Pena minha que “descobri” o extremo valor da 1xbet para a Minor League só no fim da temporada. De qualquer maneira, se trata de uma casa excelente para a liga na qual apostamos (Triple-A) com ótimas odds e bons mercados.

Além de ser uma casa confiável para saque e depósito, a 1xbet é bem valiosa. Recomendo.

Ganhe R$ 500 de bônus na 1xbet:

Gostou? A Minor League volta no Grupo de Picks em 2019

A Minor League vai entrar agora em fase de playoffs, e odeio apostar em playoffs nos esportes americanos — não há muito valor na maioria das vezes. Portanto, vamos retornar quando a temporada regular voltar, e isso acontece em abril.

Até lá, no entanto, enviarei bets de MLB (setembro), NBA e NHL (outubro a junho) no nosso Grupo de Picks.

Aposta Odds Unidades Casa de Aposta Status

Comentários estão fechados.